Força para Vencer

A História de Marie


Uma mulher pensando enquanto caminha por uma pradaria

Meu filho tinha chegado a um ponto desesperador em sua dependência de medicamentos. Ele não estava apenas doente, mas também envergonhado. Não sabemos por quanto tempo ele escondeu de nós esse problema, mas tínhamos então uma explicação para sua mudança de comportamento.

Como mãe, não sabia o que fazer. Senti imenso temor, dor e até raiva. Eu queria desesperadamente impedir que minha família desmoronasse. O primeiro passo foi procurar o conselho de nosso bispo, mas foi apenas o início. Eu sabia que haveria uma longa estrada à frente para nosso filho — e para mim também. Embora soubesse que meu filho tinha tomado suas próprias decisões, senti-me culpada e profundamente triste. Comecei a afundar no abismo de uma tenebrosa depressão.

Ao pesquisar o LDS.org um dia, em busca de ajuda, digitei as palavras “recuperação de dependências”, que me levou para o site AddictionRecovery.lds.org. Ali, encontrei histórias e vídeos de pessoas que compartilharam sua experiência pessoal com a dependência. Havia também informações sobre o Programa de Recuperação de Dependências (PRD), um serviço patrocinado pela Igreja que tinha o intuito de ajudar os que sofriam de dependências e também seus familiares. O programa PRD segue uma abordagem de doze passos que inclui o estudo e a aplicação de princípios do evangelho. Ele ensina como encontrar perdão, esperança e cura por intermédio da Expiação de Cristo.

Com a ajuda de nosso médico, nosso filho passou pelo difícil processo de livrar-se das drogas. Mas como vim a descobrir, as dependências não desaparecem de repente. A tentação persiste. O apoio emocional era muito importante para que o processo de cura tivesse continuidade. Então, pesquisamos no site de Recuperação de Dependências e encontramos reuniões do PRD em nossa área.

Meu filho não sabia o que esperar quando foi pela primeira vez a uma reunião do PRD na quarta-feira seguinte. Fomos recebidos por um casal missionário e um bom rapaz chamado Ray. Ray explicou que ele próprio era um dependente em recuperação de muitos anos e que estava ali para ajudar a dirigir o debate e compartilhar experiências pessoais. O grupo era bem heterogêneo: ricos e pobres, jovens e idosos, com vários tipos de dependências. As diferenças se dissipavam, porém, quando cada um se abria para compartilhar seus esforços rumo à cura.

Os familiares dos que tinham dependências também participavam do grupo para apoiar-se mutuamente. Conheci uma senhora muito bondosa cujo filho havia sido dependente por vários anos e, com isso, descobri que não estava sozinha — muitos outros trilhavam a mesma senda em que eu estava, e adquirimos forças caminhando juntos. Aprendi que todos tínhamos algo em comum: o desejo de que nossos entes queridos e nós mesmos fôssemos curados. Compartilhamos nossos sentimentos e ajudamos uns aos outros. Saí da reunião com um espírito renovado e incentivo para seguir em frente rumo a um dia melhor. Ao longo do tempo, à medida que meu filho e eu continuamos a participar das reuniões, ambos progredimos rumo à recuperação.

Meu testemunho é que, por intermédio do poder da Expiação e com o apoio de outros, cada um de nós pode encontrar forças para vencer.