De Grande Valor

A História de Lou Ann


Uma mulher ajoelhada e orando.

Passei 27 anos de minha vida perdida na névoa da escuridão à medida que minha dependência progredia do álcool para a maconha e daí para cocaína, metanfetamina e heroína.

No início de 2005, contraí uma infecção perigosa em meu braço que requeria atenção médica diária. Eu não tinha onde morar na época. Dormia em uma garagem suja e fria à noite e vagava pelas ruas de dia. Eu vivia suja e era incapaz de me cuidar adequadamente. Procurei minha mãe e pedi ajuda para ir e voltar do hospital todos os dias para receber a atenção médica que eu necessitava. Ao me ajudar, ela falava da necessidade de parar de usar drogas. Apesar de fingir concordar com ela, sentia que nunca seria capaz de fazer isso e que logo morreria por causa da dependência.

Mas minha mãe não desistiu. Há alguns anos ela recebeu uma bênção quando estava sobrecarregada pela tristeza devido aos filhos que se desviaram do caminho. Foi dito a ela que seus filhos valiam mais do que o mundo para o Pai Celestial, então isso se tornou seu mantra. Ela me lembrava de meu grande valor toda vez que eu a via. Eu não acreditava nela a princípio, mas isso me fez pensar.

Logo me inscrevi em um centro de desintoxicação. Mas depois de cinco dias passando muito mal, não consegui suportar mais e decidi sair. Peguei carona até onde meu namorado estava e usei heroína. Devido aos dias que passei pela desintoxicação, tive uma parada respiratória que quase me tirou a vida. Meu namorado fez uma reanimação cardiopulmonar para que eu revivesse, mas três horas depois usei heroína de novo. Estava desesperadamente dependente. Nem mesmo estando quase à morte me impediu de usar o veneno que estava me matando tanto física quanto espiritualmente.

Minha mãe me disse que sempre orava por mim, e nesse dia, em especial, ela começou a rogar ao Pai Celestial por uma intervenção para salvar minha vida. Orou como nunca tinha orado antes. Duas semanas depois, em resposta às orações fervorosas de minha mãe, fui presa. Raramente estava sã e morava na rua há quase cinco anos. Só conseguir pensar em quando ia me drogar novamente. Mas ir para a cadeia foi a bênção que salvou minha vida. Quando percebi que não sairia da prisão provavelmente por muito tempo, fiquei estranhamente aliviada, mesmo sabendo que ficaria violentamente enjoada e doente enquanto meu corpo se livrava do veneno do qual eu estava tão dependente. Estava completamente destroçada de corpo, mente e espírito.

Nas primeiras semanas na cadeia, passei muito mal devido à falta das drogas. Eu queria morrer. Comecei a receber a inspiração de voltar-me ao Senhor em oração. Resisti a essa inspiração e a afastei muitas vezes. Tinha medo de fracassar porque já fracassara muitas vezes antes. Sentia-me muito envergonhada e indigna para orar ao Senhor. Felizmente, os influxos persistiram. Finalmente, um dia, quando estava na cela, uma oração jorrou de meu coração. Assim que a oração começou a sair de meus lábios, senti o imenso amor que o Salvador tinha por mim. Pude sentir que Ele estava bem ali, comigo, na cela. Também me senti plena de um sentimento de paz e esperança que eu não sentia havia muitos anos. Enquanto orava ao Senhor, lágrimas curadoras desciam pelo meu rosto e continuei a voltar-me ao Senhor daí em diante.

Minha jornada de recuperação com o Salvador foi milagrosa. Continuo a experimentar a cura no relacionamento com minha família e amigos. Sou grata pela bênção de autossuficiência que senti na recuperação. Nunca imaginei que alguém como eu, uma dependente de heroína sem-teto, poderia ter o tipo de vida que tenho hoje. Tenho muito a agradecer.

Depois de atuar como facilitadora do Programa de Recuperação de Dependências por dois anos, o Senhor me inspirou a tornar-me missionária no programa e compartilhar a mensagem de esperança com minhas irmãs encarceradas. Tive reuniões individuais de recuperação de dependências com irmãs em presídios de segurança máxima, assim como em grupo em outros ambientes. É uma experiência maravilhosa e sagrada guiada pelo Espírito. É inspirador para mim como o Senhor pode pegar algo tão feio e destrutivo quanto minha dependência e, por meio da Expiação do Salvador Jesus Cristo, me curar e usar a dependência e recuperação para o bem, para a edificação de Seu Reino de uma maneira tão poderosa. Amo estar a serviço do Senhor. Confio Nele com toda força de meu ser. Olho para a frente com um perfeito brilho de esperança pelo que o Senhor reserva para mim na recuperação.