O Senhor Envia Seus Servos

A História de Robert


Dois homens de pé e sorrindo à porta de uma casa.

A dependência de maconha, cocaína, álcool e pornografia começou quando era bem jovem. Eu tinha 18 anos quando me casei e logo depois comecei a usar drogas pesadas. Isso não ajudou em nada nosso relacionamento e, devido a infidelidade de ambos e minha dependência, nos divorciamos pouco tempo depois. Aos 30 anos, já havia me casado e divorciado de outra mulher pelas mesmas razões e me casado novamente.

Comecei a infringir a lei de outras maneiras, mas naquela época eu não achava que as coisas estavam tão ruins. Para provar que minhas ações não eram tão terríveis como as pessoas pensavam, fui à delegacia e contei ao delegado tudo o que havia feito. Logo fui preso e sentenciado a alguns anos na cadeia.

Nesse período, conheci o Programa de Recuperação de Dependências. Trabalhei tão bem os princípios do programa que fui colocado em liberdade condicional mais cedo. Apesar de estar limpo pela primeira vez em 25 anos, não conseguia sentir que pudesse superar minha vergonha. Minha mulher queria que retornássemos a nosso velho estilo de vida, mas eu sabia que terminaria perdendo a vida ou passando o resto dela na cadeia se o fizesse. Ela se divorciou de mim por eu não ter voltado ao nosso estilo de vida de dependência.

Eu tinha um mestre familiar que me visitava regularmente antes da prisão. Na maioria das vezes eu tentava escapar das visitas, mas de vez em quando ele conseguia me pegar. Ele continuou a ser um mestre familiar fiel. Ele e dois outros membros do quórum de élderes foram as únicas pessoas que me visitaram enquanto eu estava preso. Mas depois que saí da prisão, ficava muito envergonhado de receber visitas de alguém da Igreja.

Um dia, meu mestre familiar me deixou uma cópia de um discurso de conferência feito pelo Presidente Thomas S. Monson. Não era a primeira vez que ele deixava algo em minha porta, mas foi a primeira em que escreveu um bilhete que dizia: “Rob, sentimos falta de seus comentários no sacerdócio”. Essa mensagem ficou em minha mente a noite inteira. De manhã, a caminho do trabalho, fiz minha primeira oração sincera em anos.

Assim que comecei a orar, senti como se Deus estivesse me abraçando. Meu corpo inteiro foi envolvido em calor. Nunca senti tanta aceitação em minha vida. Estacionei o carro e comecei a chorar.

Depois dessa experiência, entrei em contato com meu bispo, que eu não conhecia. Ele deu-me uma bênção para me ajudar a parar de fumar. Depois desse dia, nunca mais toquei em um cigarro. Mais tarde, tornei-me um orgulhoso portador de uma recomendação para o templo.

Um ano depois, conheci uma mulher maravilhosa que conheceu a Igreja e foi batizada. Fomos selados no templo um ano depois.

Hoje, sou abençoado além de toda expectativa. Eu realmente fui até o fundo do poço, mas sou um testemunho vivo de que a Expiação é para todos. Sou presidente do quórum de élderes da ala e facilitador no Programa de Recuperação de Dependências, lutando para ajudar os outros como o Senhor e seus servos me ajudaram.

Sei que foi importante ficar limpo e alinhar minha vida com a vontade de Deus. Ao aceitar Jesus Cristo como meu Salvador e deixar a Expiação trabalhar em minha vida, fui capaz de me olhar no espelho com tal alegria e satisfação que nunca imaginei que teria.