Limpar Meus Pecados e Minhas Lágrimas

A História de Ryan


Um rapaz contemplando a natureza

Meu nome é Ryan e fui dependente de pornografia, bebidas alcoólicas, maconha, cocaína, metanfetamina, ecstasy, cogumelos, medicamentos e cigarros.

Quando eu tinha 13 anos, fiquei dependente em pornografia. O fato de ficar dependente em pornografia ainda tão jovem fez com que me sentisse vazio e confuso. Comecei a levar uma segunda vida. Eu vivia uma que era repleta de atividades dos escoteiros e esportes como futebol americano, luta romana, natação, corrida e meu esporte favorito: beisebol. A outra era uma vida secreta mergulhada na pornografia.

Quando comecei o ensino médio, fui cortado da equipe de beisebol porque o técnico disse que eu era baixinho demais. Quando fui cortado, fiquei sem saber quem eu era: o beisebol era a minha vida. Também tive um professor que me disse que eu nunca seria nada na vida, o que me fez sentir-me completamente inútil. Meus sentimentos de inutilidade foram piorando cada vez mais, até que certa noite decidi tirar minha própria vida. Quando estava prestes a cometer suicídio, o Espírito me disse para parar imediatamente. Eu parei, mas em vez de buscar ajuda, decidi usar medicamentos para aliviar minha dor e confusão. Eu já estava dependente em pornografia e então passei a ficar dependente em pílulas. E foi assim que minha jornada de dependência começou.

Na época eu estava com 17 anos, viciado em bebidas alcoólicas, drogas e festas. Também via pornografia constantemente, o que me fez sentir ainda pior. Meus amigos eram uma má influência e eu sempre estava em ambientes tentadores em que o Espírito não podia ficar comigo. Minha identidade tornou-se a de alguém que ia a festas, bebia e fazia outras coisas imorais.

À medida que minhas dependências foram ficando mais fortes, distanciei-me cada vez mais do evangelho de Jesus Cristo. Fui criado na Igreja, mas decidi não ser mais membro. No entanto, quando completei 21 anos de idade, comecei a namorar uma moça que conheci no ensino médio. Nós dois lutávamos contra as dependências e ambos sabíamos que precisávamos mudar. Começamos a voltar a ir à Igreja juntos e a tentar largar nossas dependências. Também comecei a assistir às aulas do instituto e proporcionar-me a ligação com Deus de que tanto sentia falta por tanto tempo. Por fim, senti que tinha conseguido dominar minhas dependências.

Casei-me com minha namorada e minha vida estava indo bem — até dois anos depois. Minha mulher e eu tínhamos um bebê recém-nascido e um novo negócio e eu estava indo à escola. Também estava trabalhando muito fora da cidade, numa instituição para rapazes adolescentes problemáticos. Para piorar tudo, minha mulher e eu passávamos por dificuldades financeiras e o estresse de tudo isso estava me pressionando com todo o peso do mundo. Depois de um longo dia de trabalho na instituição, meus colegas de trabalho iam para o bar para descontrair. Comecei a ir com eles e pouco depois comecei novamente a envolver-me com minha dependência em bebidas alcoólicas e a mascar tabaco. Passei a frequentar de novo os mesmos ambientes ruins e tentadores de que gostava antes — os ambientes que favoreciam minhas dependências.

Escondi a bebida e as drogas de minha mulher por um tempo. Então, um dia ela me disse que tinha começado a beber de novo e confessei que eu também. Começamos a beber juntos e adquiri outras dependências, como maconha sintética, sais de banho e medicamentos. Comecei a vender sais de banho e maconha sintética a lojas de cigarro.

Foi só quando minha mulher ficou bêbada por sete dias seguidos que nossas duas famílias resolveram intervir e disseram que precisávamos de ajuda. Disseram-me para largar meus negócios de venda de drogas, mas hesitei. Minha mulher começou a frequentar as reuniões do Programa de Recuperação de Dependências e pediu que eu fosse com ela, até me ameaçou de divórcio se eu não fosse, mas eu ainda estava orgulhoso e amargurado demais e achava que não precisava das reuniões. Eu já tinha recebido ordem judicial de frequentar as reuniões dos Alcoólicos Anônimos e outros grupos de 12 passos antes e eles nunca tinham funcionado. Por fim, porém, reconheci que precisava de ajuda quando me dei conta de que não conseguia passar um dia sem beber ou usar drogas.

Comecei a participar das reuniões do Programa de Recuperação de Dependências. Gostei do manual de 12 passos, mas ainda lutava com a vontade de retornar a meu antigo estilo de vida. Orei a Deus pela primeira vez em vários anos e pedi que me desse algo — qualquer coisa — que me distraísse do desejo de usar e de vender drogas. Recebi uma inspiração de que deveria ligar para meu antigo patrão. Quando liguei para ele, ele disse que estivera procurando um empregado para ir com ele até Boston por alguns meses, para trabalhar num projeto. Aconselhei-me com Deus e senti que era a coisa certa, por isso parti no dia seguinte.

Em Boston, li todo o guia de 12 passos do Programa de Recuperação de Dependências várias vezes. Também li o Livro de Mórmon inteiro pela primeira vez e adquiri um testemunho de sua veracidade. Boston provou ser o ambiente de que eu necessitava para recuperar-me completamente do meu desejo de vender drogas. Parti dali três meses depois me sentindo espiritualmente rejuvenescido e renovado.

Quando voltei a Utah, comecei a participar das reuniões do Programa de Recuperação de Dependências todos os dias, por 90 dias. Desenvolvi um profundo relacionamento com meu Salvador Jesus Cristo. Por fim, compreendi que nunca estava sozinho. Ele me encheu de esperança de que eu poderia recuperar-me e de que Ele tinha uma vida melhor para mim. Cristo havia salvo minha vida quando eu iniciei o ensino médio e estava salvando minha vida de novo. Creio de todo o coração que o fato de ter participado das reuniões do Programa de Recuperação de Dependências realmente salvou minha vida.

Por meio de minhas experiências de cura no Programa de Recuperação de Dependências, pude também ajudar outras pessoas. Ajudei meu irmão a vencer suas dependências e agora sou orientador nas reuniões. Eu digo às pessoas que ajudo que elas não estão sozinhas — que há outros que conhecem exatamente quais são as dores e as dificuldades pelas quais elas estão passando. Digo-lhes que senti a solidão, a vergonha e a inutilidade que elas sentem e que ninguém está fora do alcance do socorro. Quando comecei a usar o programa em minha vida pessoal, compreendi que Cristo está a meu lado e ao lado de todos e que Ele pagou por nossos pecados. Não temos que carregar os nossos pecados — temos que nos arrepender deles e abandoná-los.

Infelizmente, minha mulher ainda queria o divórcio, então meu primeiro casamento chegou ao fim. Mas hoje estou casado de novo e tenho outra filha linda. Como tenho minhas dependências sob controle e tenho um relacionamento mais forte com Deus, sou um marido e um pai muito melhor. Aprendi a viver a vida um dia por vez e a oferecer-me ao Senhor a cada dia. Tenho sido capaz de aplicar a Expiação a cada dia de minha vida e sou grato por seu poder. Uma coisa é pensar abstratamente em Jesus Cristo e em Sua Expiação, mas é uma experiência diferente e muito mais vigorosa senti-Lo limpar seus pecados e suas lágrimas.

Aprendi que para evitar as tentações que me fazem sucumbir a minhas dependências, preciso estar em solo sagrado e retirar-me de ambientes ruins. Confio em meu Salvador e recorro a Ele e à Sua força todos os dias. “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece” (Filipenses 4:13).